quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

PONTOS RISCADOS E PONTOS CANTADOS



PONTOS RISCADOS - Os trabalhos umbandistas, provindos das velhas seitas, foram sempre iniciados com riscos, ou pontos riscados, com o significado de letras ou hieróglifos, de acordo com a Linha a que pertencesse a entidade que fosse praticar o trabalho de magia, necessário naquele momento.
É a Pemba, na Umbanda, a força misteriosa da escrita astral de nossa seita, que tem o poder de fechar, trancar ou abrir os terreiros, de acordo com as exigências dos trabalhos que vão ser praticados.
Não pode existir um terreiro e muito menos um trabalho de magia sem o testemunho dos pontos riscados, isto é, da Pemba.
Assim, a Pemba, pode-se afirmar sem a menor duvida, é o instrumento mais poderoso da Umbanda, pois sem os pontos riscados nada se poderia fazer com segurança.

PONTOS CANTADOS - Os pontos cantados na Umbanda são a prece e a invocação das falanges, chamando-as ao convívio das suas reuniões que, no momento, se iniciam.
Todas as religioes têm os seus cânticos. Assim, a Umbanda usa os seus pontos cantados, dos quais, entretanto não se deve abusar, pois eles representam as forças falangistas que se aproximam dos terreiros ou centros, para os trabalhos, sejam eles de magia, de descarga ou de desen-volvimento de médiuns.A harmonia dos sons é uma das mais importantes partes da magia e dela depende, dentro da Umbanda, a vinda dos chefes para darem a luz necessária, na verdadeira cons-trução dos trabalhos que se processarão dentro dos rituais, impostos pelas preces de canto, que formam uma das maiores forças mágicas da Umbanda.Segue abaixo uma listagem dos principais pontos.

HINO DA UMBANDA
Refletiu a luz divina

Com todo seu esplendor

é do reino de Oxalá

Onde há paz e amor

Luz que refletiu na terra

Luz que refletiu no mar

Luz que veio, de Aruanda

Para todos iluminar

A Umbanda é paz e amor

É um mundo cheio de luz

É a força que nos dá vida

e a grandeza nos conduz.

Avante filhos de fé,

Como a nossa lei não há,

Levando ao mundo inteiro

A Bandeira de Oxalá !
PONTOS DE ABERTURA E FECHAMENTO DAS GIRAS
Vou abrir minha Jurema
Vou abrir meu Juremá
Vou abrir minha Jurema
Vou abrir meu Juremá
Com licença de mamãe Iansã
E de Nosso Pai Oxalá
Com licença de mamãe Iansã
E de Nosso Pai Oxalá

Já abri minha Jurema
Já abri meu Juremá
Já abri minha Jurema
Já abri meu Juremá
Com licença de mamãe Iansã
E de Nosso Pai Oxalá
Com licença de mamãe Iansã
E de Nosso Pai Oxalá
Eu abro a nossa gira
Com Deus e Nossa Senhora
Eu abro a nossa gira
Sambolê pemba de angola
Eu abro a nossa gira
Com Deus e Nossa Senhora
Eu abro a nossa gira
Sambolê pemba de angola


Abriu, abriu, abriu
Abriu deixa abrir
Com as forças da Jurema
Jurema Juremá
Vamos abrir a nossa gira
Com licença de Oxalá
Vamos abrir a nossa gira
Com licença de Oxalá

Salve Xangô
Salve Iemanjá
Mamãe Oxum, Nanã Buroquê
Salve Cosme e Damião
Oxóssi, Ogum
Oxumaré
Salve Cosme e Damião
Oxóssi, Ogum
Oxumaré
Eu fecho a nossa gira
Com Deus e Nossa Senhora
Eu fecho a nossa gira
Sambolê pemba de angola
Eu fecho a nossa gira
Com Deus e Nossa Senhora
Eu fecho a nossa gira
Sambolê pemba de angola


Fechou, fechou, fechou
Fechou deixa fechar
Com as forças da Jurema
Jurema Juremá
Vamos fechar a nossa gira
Com licença de Oxalá
Vamos fechar a nossa gira
Com licença de Oxalá

Salve Xangô
Salve Iemanjá
Mamãe Oxum, Nanã Buroquê
Salve Cosme e Damião
Oxóssi, Ogum
Oxumaré
Salve Cosme e Damião
Oxóssi, Ogum
Oxumaré
PONTOS DE SAUDAÇÃO A OXALÁ
Meu Pai Oxalá
É o Rei, venha me valer
Meu Pai Oxalá
É o Rei, venha me valer
O velho Omulu
Atotô Baluaê
Atotô Baluaê

Atotô Baluaê
Atotô Baba
Atotô Baluaê
Atotô é orixá
Oxalá meu pai
Tem pena de nós, tem dó
Se as voltas no mundo é grande
Seus poderes são maior
Oxalá meu pai
Tem pena de nós, tem dó
Se as voltas no mundo é grande
Seus poderes são maior

O malei malei
O malei malá
O malei malei
Salve as forças de Oxalá !
PONTOS DE SAUDAÇÃO A OXALÁ
Meu Pai Oxalá
É o Rei, venha me valer
Meu Pai Oxalá
É o Rei, venha me valer
O velho Omulu
Atotô Baluaê
Atotô Baluaê

Atotô Baluaê
Atotô Baba
Atotô Baluaê
Atotô é orixá
Oxalá meu pai
Tem pena de nós, tem dó
Se as voltas no mundo é grande
Seus poderes são maior
Oxalá meu pai
Tem pena de nós, tem dó
Se as voltas no mundo é grande
Seus poderes são maior

O malei malei
O malei malá
O malei malei
Salve as forças de Oxalá !
PONTOS DE IEMANJÁ E DAS SEREIAS DO MAR

Eram duas ventarolas
Duas ventarolas que sopravam sobre o mar
Eram duas ventarolas
Duas ventarolas que sopravam sobre o mar

Uma era Iansã, Ieparrê
A outra era Iemanjá, adoceáh
Uma era Iansã, Ieparrê
A outra era Iemanjá, adoceáh

Eu vou jogar
Vou jogar flores no mar
Eu vou jogar !

Uma promessa eu fiz
Para Deus me ajudar
Vou pedir, vou vencer
Vou vencer, vou pagar

Eu vou jogar
Vou jogar flores no mar
Eu vou jogar !

ê Iemanjá
ê Iemanjá
Rainha das ondas, sereias do mar
Rainha das ondas, sereias do mar

Como é lindo o canto de Iemanjá
Faz até o pescador chorar
Quem ouvir a mãe d'água cantar
Vai com ela pro fundo do mar
Iemanjá !

Iemanjá é
Rainha das ondas, sereias do mar
Rainha das ondas, sereias do mar

O Janaina
Princesa d'água
Solte os cabelos Janaina
E caia n'água

Janaina eehh
Janaina eaahh
Que vive na terra
Que vive na lua
Que vive na água
Que vive no mar

Me livre dos inimigos
Me livre das aflições

Me livre dos perigos
Me livre das tentações
Janaina eeh
Janaina eah
PONTOS DE MAMÃE OXUM
O viva Oxum
Iansã e Nanã
Mamãe Sereia
Viemos saudar

Oi me leva
Pras ondas grandes
Eu quero ver as sereias cantar
Eu quero ver os caboclinhos na areia
Oi como brincam com Iemanjá
Aruê, ê, ê, êeee
Aruê Mamãe é dona do mar
Aruê, ê, ê, êeee
Aruê Mamãe é dona do mar
Eu vi a mamãe Oxum
Sentada na cachoeira
Colhendo os lírios, lírios ê
Colhendo os lírios, lírios Ah
Colhendo lírios pra enfeitar nosso congar
Colhendo os lírios, lírios ê
Colhendo os lírios, lírios Ah
Colhendo lírios pra enfeitar nosso congar
PONTOS DE XANGÔ
Pedra rolou pra Xangô
Lá nas pedreiras
Afirma o ponto meu pai
Na cachoeira
Pedra rolou pra Xangô
Lá nas pedreiras
Afirma o ponto meu pai
Na cachoeira

Tenho meu corpo fechado
Xangô é meu protetor
Afirma o ponto meu pai
Pai de cabeça é Xangô
Tenho meu corpo fechado
Xangô é meu protetor
Afirma o ponto meu pai
Pai de cabeça chegou

Quem rola as pedras na pedreira é Xangô
Quem rola as pedras na pedreira é Xangô
Giro na coroa de Zambi
Giro na coroa de Zambi
Giro na coroa de Zambi
é Xangô


Giro na coroa de Zambi
Girooo
Giro mas saravá meu pai Xangô

Quem é quem vence as demandas ?
Quem é o dono das Pedras ?
é Xangô

Lá em cima daquelas pedreiras
Tem um livro que é de Xangô
Lá em cima daquelas pedreiras
Tem um livro que é de Xangô
Kaô, Kaô, Kaô cabeciem

Xangô morreu de velho
Na pedra ele escreveu
- Justiça meu Pai , Justiça !
Ganhou quem mereceu

- Justiça meu Pai , Justiça !
Ganhou quem merece
PONTOS DE OGUM

Seu Ogum Beira Mar
O que trouxes do mar ?
Seu Ogum Beira Mar
O que trouxes do mar ?

Quando ele vem
Beirando a areia
Vem trazendo no braço direito
O rosário de Mamãe Sereia
Quando ele vem
Beirando a areia
Vem trazendo no braço direito
O rosário de Mamãe Sereia

Ogum em seu cavalo corre
E a sua espada reluz
Ogum em seu cavalo corre
E a sua espada reluz

Ogum, Ogum Megê
Sua bandeira cobre os filhos de Jesus
Ogunhê

Se meu pai é Ogum
Vencedor de demanda
Ele vem de Aruanda
Pra salvar filhos de umbanda

Ogum, Ogum, Ogum Iara
Ogum, Ogum, Ogum Iara
Salve os campos de batalha
Salve as sereias do mar

Ogum, Ogum Iara
Ogum, Ogum Iara

Ogum venceu demanda
Nos campos do Humaitá
Ogum venceu demanda
Nos campos do Humaitá

Cruzou sua espada na areia
Lavou seu escudo no mar
Cruzou sua espada na areia
Lavou seu escudo no mar

Em seu cavalo branco ele vem montado
Calçando botas ele, vem armado

O vinde , vinde , vinde
Nosso Salvador
O vinde , vinde , vinde
São Jorge defensor

Ogum não devia beber
Ogum não devia fumar
A fumaça é as nuvens que passam
E a cerveja é a espuma do mar
A fumaça é as nuvens que passam
E a cerveja é a espuma do mar

Cavaleiro na porta bateu
Eu passei a mão na pemba para ver quem era...
Cavaleiro na porta bateu
Eu passei a mão na pemba para ver quem era...
Era São Jorge guerreiro, minha gente !
Cavaleiro na força e na fé
Era São Jorge guerreiro, minha gente !
Cavaleiro na força e na fé

Eu venho de Alta cidade
Venho saudar a aldeia de umbanda
Estou saudando São Jorge Guerreiro
Com licença de Ogum da Ronda

Ogum de Ronda
Salve Ogum de Ronda
Salve Ogum de Ronda que acaba de chegar

Ogum de Ronda
Ele é guerreiro
Chegou nesse terreiro
Pro seus filhos ajudar

Ogum de Ronda
Em seu cavalo branco
Corre em todas as campinas
Do nosso pai Oxalá

Ogum de Ronda
Salve Ogum de Ronda
Salve Ogum de Ronda que acaba de chegar

Que cavaleiro é aquele
Que vem cavalgando pelo céu azul
É seu Ogum Rompe Mato
Ele é defensor do cruzeiro do Sul

E e e
E e aaaa
E e e seu Ogum
Pisa na Umbanda
E e e
E e aaaa
E e e seu Ogum
Pisa na Umbanda

Olha que barco bonito
Que vem navegando em pleno mar
É seu Ogum Sete Ondas
Que vem ao encontro
De Ogum Beira Mar

Ogum de Lei
Não me deixes sofrer tanto assim
Ogum de Lei
Não me deixes sofrer tanto assim

Quando eu morrer
Vou passar em Aruanda
Saravá Ogum
Saravá Seu Sete Ondas

Quando eu morrer
Vou passar em Aruanda
Saravá Ogum
Saravá Seu Sete Ondas
PONTOS DE OXÓSSI E DOS CABOCLOS

Dentro da mata virgem
Uma linda cabocla eu vi
Com seu saiote
Feito de penas
É a Jurema filha de Tupi
Com seu saiote
Feito de penas
É a Jurema filha de Tupi

Jurema. Jurema , Jurema
Linda cabocla, filha de Tupi
Ela vem, lá da Juremá
Vem firmar seu ponto
Nesse congar

Ela vem, lá da Juremá
Vem firmar seu ponto
Nesse congar

Caboclinha da Jurema
Onde é que você vai ?
Vou pra casa de Odé, no terreiro de meu Pai

De Aruanda êee
De Aruanda aah
De Aruanda êee caboclinha de pemba
De Aruanda aah

Caboclo roxo
Da pele morena
É Seu Oxóssi
Caçador lá da Jurema

Ele jurou e tornou a jurar
E ouviu os conselhos
Que a Jurema vai lhe dar

Quem manda na mata é Oxóssi
Oxóssi é caçador
Oxóssi é caçador

Eu vi meu pai assobiar
Eu já mandei chamar
Eu vi meu pai assobiar
Eu já mandei chamar

É de Aruanda êeee
É de Aruanda aaaa
Seu Junco Verde é Aruanda
É de Aruanda aaaa

Não chores não caboclinho
Pra que chorar
A casa é sua caboclinho
Prá trabalhar

Oi olhe agora
E venha receber
Ogum de Ronda
Meu Pai Baluaê

Curimbembê, Curimbembá
Sete Flechas um grande orixá

Com sete dias de nascido
A Jurema o encontrou
Deitado na folha seca
O caboclo ela criou

Curimbembê, Curimbembá
Sete Flechas um grande orixá

Nasceu na mata de Oxóssi
Na aldeia de Juremá
O caboclo Sete Flechas
Iluminado por Oxalá

Oxóssi êeee
Oxóssi aaaaa
Oxóssi é marambolê, marambolá

Quem é aquele que vem lá de Aruanda
Montado em seu cavalo
Com seu chapéu de banda
Ele é Oxóssi de Aruanda eeeeee
Ele é Oxóssi de Aruanda aaaaa

Caboclo venceu demanda
Para o povo de Umbanda
Na ponta da sua flecha
Quando veio de Aruanda

Venceu...
Caboclo venceu...
No fundo da mata virgem
Oxalá gritou
- Esse filho é meu !!!
Esse filho é meu !!!

Onde está a Jurema?
A Jurema a onde está ?
Tá procurando os capangueiros
Que ainda estão na Juremá
Quem mandou chamar
Em nome do Pai Oxalá?
Foi seu Oxóssi caçador
Que já baixou nesse congar

Salve todo o povo da Jurema
Salve sua luz
Seu jacutá

Levando a todos lares e seus filhos
Trazendo paz e amor
Na fé de Oxalá

Oxalá chamou !
Oxalá chamou e já mandou buscar
Os caboclos da Jurema
Pro seu Juremá

Pai Oxalá
É o rei do mundo inteiro
Já deu ordens pra Jurema
Chamar seus capangueiros
Mandai, Mandai
Minha cabocla Jurema
Os seus guerreiros
Essa é a ordem suprema !!

Ogan segura o toque
Com Deus e a Virgem Maria
Ogan segura o toque
Com Deus e a Virgem Maria

Por Oxalá Meu Pai
Saravá Seu Ventania
Por Oxalá Meu Pai
Saravá Seu Ventania

Um grito na mata ecoou
Foi seu pena branca que chegou
Com sua flecha
Com seu cocar
Seu Pena Branca vem nos ajudar
Com sua flecha
Com seu cocar
Seu Pena Branca vem nos ajudar

Saravá seu Pena Branca
Saravá seu apache
Pega flecha e seu bodoque
Pra defender filhos de fé

Ele vem de Aruanda
Trabalhar neste casuá
Saravá Seu Pena Branca
No terreiro de Oxalá

Sua flecha vai certeira
Vai pegar no feiticeiro
Que fez juras e mandingas
Para o filho do terreiro
Pega o arco , atira a flecha
Que esse bicho é caçador
Além de ser castigo
Ele é merecedor

Ele atirou
Ele atirou e ninguém viu
Só seu Flecheiro é que sabe
A onde a flecha caiu
Ele atirou!

Tupinambá é canga na batalha
Tupinambá ee Tupinambá
Tupinambá guerreiro de Oxóssi
Tupinambá ee Tupinambá
Tupinambá vem defender seus filhos
Tupinambá ee Tupinambá

Só não apanha
Folha da Jurema
Sem ordem suprema
Do Pai Oxalá
Só não apanha
Folha da Jurema
Sem ordem suprema
Do Pai Oxalá

Tava na beira do rio
Sem poder atravessar
eu chamei pelos caboclos

Caboclo Tupinambá
eu chamei pelos caboclos
Caboclo Tupinambá

Tupinambá chamei
Chamei tornei chamar eaahhh
Tupinambá chamei
Chamei tornei chamar eaahhh
PONTOS DOS PRETOS-VELHOS

Pai João cadê vó Maria ?
Foi no mato apanhar guiné
Pai José cadê vó Luzia ?
Foi no mato apanhar guiné

Diga a ela quando vier
Que suba as escadas
E não bata o pé
Diga a ela quando vier
Que suba as escadas
E não bata o pé

Nessa casa tem quatro cantos
Cada canto tem um santo
Pai e filho, Espirito Santo
Nessa casa tem 4 cantos

Zum zum zum
Olha só Jesus quem é
Eu rezo para santas almas
Inimigo cai
Eu fico de pé

O preto por ser preto
Não merece ingratidão
O preto fica branco
Na outra encarnação

No tempo da escravidão
Como o senhor me batia
Eu chamava por Nossa Senhora, Meu Deus!
Como as pancadas doíam

Vovó não quer
Casca de coco no terreiro
Vovó não quer
Casca de coco no terreiro
Pra não lembrar dos tempos do cativeiro
Pra não lembrar dos tempos do cativeiro

Carpiste Angola
Eu to carpinando e tá crescendo
Olha que
Tô carpinando e tá crescendo
Tô carpinando e tá crescendo

Cambina mamanhê
Cambina Mamãe-nhã
Oi segura a Campina que eu quero ver
Filhos de Umbanda não tem querer
Segura a Campina que eu quero ver
Filhos de Umbanda não tem querer

O Povo de Cambina
oi quando vem pra trabalhar
O Povo de Cambina
oi quando vem pra trabalhar
Todo o povo vem por terra
Campinar vem pelo mar
Todo o povo vem por terra
Campinar vem pelo mar

Rei Congo, Rei Congo
Cadê preto-velho ?
Foi trabalhar na linha de Congo

É Congo, é Congo, é Congo
é de Congo, é de Congo aruêe
É Congo, é Congo, é Congo
Agora que eu quero ver...

Tira o cipó do caminho, oi criança
Deixa a vovó atravessar
Tira o cipó do caminho, oi criança
Deixa a vovó atravessar
Eles vem chegando
São os preto velhos que vem trabalhar
Eles vem chegando
São os preto velhos que vem trabalhar
PONTOS DE COSME E DAMIÃO

Cosme e Damião,
Damião cadê Doun ?
Doun foi passear lá no cavalo de Ogum
Cosme e Damião,
Damião cadê Doun ?
Doun foi passear lá no cavalo de Ogum

Dois dois sereias do mar
Dois dois mamãe Iemanjá
Dois dois sereias do mar
Dois dois mamãe Iemanjá

Cosme e Damião
O que é que eu vou comer ?
- Peixe da maré
- Com azeite de dendê !

Fui no jardim colher as rosas
A vovózinha deu-me a rosa mais formosa
Fui no jardim colher as rosas
A vovózinha deu-me a rosa mais formosa

Cosme e Damião, ÔOOOh Doun
Crispim , Crispiniano
São os filhos de Ogum
Cosme e Damião, ÔOOOh Doun
Crispim , Crispiniano
São os filhos de Ogum

Mariazinha da beira da praia
Como é que sacode a saia ?
É assim, assim, assim
Assim que sacode a saia
É assim, assim, assim
Assim que sacode a saia

Juquinha da beira da praia
Como é se que abana o boné ?
É assim, assim, assim
Assim que se abana o boné
É assim, assim, assim
Assim que se abana o boné

Bahia é terra de dois
Terra de 2 irmãos
Governador da Bahia
É Cosme e São Damião

Bahia é terra de dois
Terra de 2 irmãos
Governador da Bahia
É Cosme e São Damião
PONTOS DOS BAIANOS

É lamp, é lamp, é lamp
É Lamp, é Lampião
O seu nome é Virgulino
Apelido é Lampião

Lampião tava dormindo
acordou todo assustado
deu um tiro na barata
Pensando que era soldado

Baiano é um povo bom
Povo trabalhador
Baiano é um povo bom
Povo trabalhador
Quem mexe com baiano
Mexe com Nosso Senhor
Quem mexe com baiano
Mexe com Nosso Senhor

Quem nunca viu, vem ver
Caldeirão sem fundo ferver
Quem nunca viu, vem ver
Caldeirão sem fundo, ferver

Bahia
ô África
Venha nos ajudar
Bahia
ô África
Venha nos ajudar
Povo baiano, povo africano
Povo baiano, vem cá vem cá

Baiana faz e não manda
Não tem medo de demanda
Baiana faz e não manda
Não tem medo de demanda

Baiana feiticeira
Filha de Nagô
Trabalha com pó de pemba
Pra ajudar Babalaô
Baiana sim
Baiana vem
Quebra a mandinga com dendê
Baiana sim
Baiana vem
Quebra a mandinga com dendê

Quem tem baiano
Agora que eu quero ver
Firma seu ponto
Com azeite de dendê

Eu quero ver a baianada de Aruanda
Trabalhando na Umbanda
Pra quimbanda não vencer
Eu quero ver a baianada de Aruanda
Trabalhando na Umbanda
Pra quimbanda não vencer

Um baiano um coco
Dois baiano dois coco
Três baiano três coco
Quatro baiano uma cocada
Cinco baiano uma baianada

Cinco baiano uma baianada

Fui fazer uma caçada
Essa foi pequenininha
Com um facão de sete palmos
Fora o cabo e a bainha
Uma cesta de ovo
e setecentas galinhas !!

E o tricô ?
De cima da linha

E o tricô ?
De cima da linha


Eu to chamando
To chamando, to chamando
To cansado de chamar
To chamando
To chamando
To cansado de chamar

Cadê meu irmão
Que não vem brincar mais eu ?
Cadê meu irmão
Que não vem brincar mais eu ?

Baiano bom
Baiano bom
Baiano bom é o que sabe trabalhar

Baiano bom
Baiano bom
Baiano bom é o que sabe trabalhar

Baiano bom
É o que sobe no coqueiro
Tira o coco, bebe a água
e deixa o coco no lugar

Baiano bom
É o que sobe no coqueiro
Tira o coco, bebe a água
e deixa o coco no lugar

Na Bahia tem
Já mandei buscar
Lampião de vidro
Ôi sá Dona
Para trabalhar... ôooo
PONTOS DOS BOIADEIROS

Seu boiadeiro por aqui choveu
Seu boiadeiro por aqui choveu
Choveu, choveu
Relampiou
Foi nessa água que seu boi nadou

Mas,
Seu boiadeiro por aqui choveu
Seu boiadeiro por aqui choveu
Choveu, choveu
Relampiou
Foi nessa água que seu boi nadou

Seu boiadeiro por aqui choveu
Choveu que água rolou
Foi nessa água que seu boi nadou
Foi nessa água que seu boi nadou

Seu boiadeiro cadê sua boiada?
Sua boiada ficou em Belém
Chapéu de couro ficou lá também
Chapéu de couro ficou lá também

Olha meu camarada
Camarada meu
Olha meu camarada
Camarada meu
Sou Boiadeiro que cheguei aqui agora
Candomblé toca no keto
Mandar tocar angola



(Substitua BOIADEIRO por um nome de orixá - exemplo abaixo )

Olha meu camarada
Camarada meu
Olha meu camarada
Camarada meu
Sou Zé do Laço que cheguei aqui agora
Candomblé toca no keto
Mandar tocar angola

Chetruê, Chetruá
Corda de laçar meu boi
Chetruê, Chetruá
Corda de meu boi laçar

Chetruê, Chetruá
Corda de laçar meu boi
Chetruê, Chetruá
Corda de meu boi laçar

Seu Boiadeiro
Cade sua boiada ?
Mas, Seu Boiadeiro
Cade sua boiada ?

Seu boiadeiro na Jurema é nosso pai
É nosso camarada
Seu boiadeiro na Jurema é nosso pai
É nosso camarada

Chetruê, Chetruá
Minha corda é de laçar
Chetruê, Chetruá
Meu boi fugiu mandei buscar

A minha boiada é de trinta e um
Vieram trinta
está faltando um

Toque o berrante, boiadeiro
Toque o berrante
Toque o berrante pra anunciar sua chegada
É os boiadeiros que vem lá de Aruanda
Pra trabalhar nesta tenda de Umbanda

PONTOS DOS MARINHEIROS

Seu marinheiro
Que vida é a sua
Tomando cachaça
caindo na rua ?

Eu bebo sim
Eu bebo muito bem
Bebo com meu dinheiro
Não devo nada a ninguem

Navio Negreiro no fundo do mar
Navio Negreiro no fundo do mar
Correntes pesadas arrastando na areia
A negra escrava se pos a cantar
A negra escrava se pos a cantar
Saravá minha Mãe Iemanjá
Saravá minha Mãe Iemanjá
Virou a caçamba pro fundo do mar
Virou a caçamba pro fundo do mar
Quem me salvou foi mãe Iemanjá
Quem me salvou foi mãe Iemanjá

O Cirandeiro
Cirandeiro ó
O Cirandeiro
Cirandeiro ó

A pedra do seu anel
Brilha mais que ouro em pó
A pedra do seu anel
Brilha mais que ouro em pó

Seu Martim Pescador
Que vida é a sua?
É bebendo cachaça
Caindo na rua

Eu também sei nadar
Eu também sei nadar no mar
Eu também sei nadar
Eu também sei nadar no mar

Eu também sei, também sei, também sei nadar
Eu também sei, também sei, também sei nadar

Na barra vi só dois navios
Perguntando se podia entrar
A barra já está tomada seu marujo
Nessa barra aqui quem manda é Oxalá
A barra já está tomada seu marujo
Nessa barra aqui quem manda é Oxalá
PONTOS DE DESPEDIDA

O coqueiro do Norte
Está balançando
É a Bahia que está me chamando

Ogum já trabalhou
Ogum já saravou
Filhos de pemba
Que tanto chora
É meu pai Ogum
Que já vai embora

Filhos de pemba
Que tanto chora
É meu pai Ogum
Que já foi embora

A sua terra é longe
E eles vão embora
E vão beirando o rio azul
Adeus a Umbanda que os caboclos
Vão embora
E vão beirando
O rio azul

Despedida de baiano faz chorar
Faz chorar
Faz soluçar

Despedida de baiano faz chorar
Faz chorar
Faz soluçar

Andorinha que voa , que voa andorinha
Leva as crianças pro céu Andorinha
Andorinha que voa , que voa andorinha
Leva as crianças pro céu Andorinha

Oi quem tem pemba joga fora

Maré, Maré

Que os *orixás já vão embora

Maré, maré

--------------------------------------

Oi quem tem pemba joga fora

Maré, maré

Que os *marinheiros vão embora

Maré, maré

*(substitua a palavra orixá pela linha ou nome próprio)

PONTOS DE BATER A CABEÇA

(Para Pais e Mães de Santo)


Bate cabeça Babá
Que eu sou camisa azul
E para o ano que vem
Dois, dois comer caruru

Bate cabeça Babá
Já foi pedir
A proteção pras seus filhos não cair

Bate cabeça Babá
Já foi pedir
A proteção pras seus filhos não cair

Glória a Deus, lá nas alturas
Glória a Deus nesse congar
Glória a Deus no pensamento
Glória a Deus nossa Babá

Auê Babá
Babá de Orixá
Auê Babá
Babá de Orixá
Auê babalaô
Babalaorixá

(Para filhos de santo e demais médiuns)


Vai, vai, vai
Aos pés de Nosso Senhor
Vai bater cabeça iaô
Iansã mandô
Iaô..

Bate cabeça povo da Nação
Bate cabeça o povo da Nação

Vai pedir a proteção
Ao nosso pai Oxalá
Vai pedir a proteção
Ao nosso pai Oxalá
PONTOS DE DEFUMAÇÃO

To defumando
To defumando
A casa do Bom Jesus da Lapa

Nossa Senhora incensou a Jesus Cristo
Jesus Cristo incensou os filhos seus
Eu incenso
Eu incenso essa casa
Pro mal sair e a felicidade entrar

Eu incenso
Eu incenso essa casa
Na fé de Oxóssi, de Ogum e de Oxalá

A Umbanda queimou, cheirou guiné
Vamos defumar filhos de fé
A Umbanda queimou, cheirou guiné
Vamos defumar filhos de fé

Defuma eu Babá
Defuma eu Babalaô
Defuma eu Babá
Defuma eu Babalaô

Defuma com as ervas da Jurema
Defuma com arruda e guiné
Alecrim, benjoim e alfazema
Vamos defumar filhos de fé

Com licença Pai Ogum
Filhos quer se defumar
A Umbanda tem fundamento
É preciso preparar
Com arruda e guiné
Alecrim e alfazema
Defuma filhos de fé
Com as ervas da Jurema


Nenhum comentário:

Postar um comentário